Praça da Palmares Sul agora passa a se chamar Praça Valdemar Paz de Brito

0

Foi aprovado na Câmara de Parauapebas o Projeto de Lei de Nº 059/2021 de autoria do vereador Israel Pereira Barros, o Miquinha, que dá nova denominação a praça da Palmares Sul, que a partir de agora passa a se chamar Praça Valdemar Paz de Brito. O nome faz uma justa homenagem a um dos pioneiros da comunidade “o Valdizão”, cuja trajetória pessoal de luta pelos trabalhadores rurais e pela posse definitiva da terra, principalmente nas áreas da Palmares Sul e Palmares Sul, foram de fundamental importância para a garantia de trabalho e sustento de centenas de famílias de nossa região.


De acordo com Miquinha, muitas pessoas passaram a ter um pedaço de chão para chamar de seu devido ao empenho do agricultor. “Valdizão, como era conhecido pelos seus companheiros, participou de ocupações, acampamentos e manifestações em busca da posse definitiva da terra, algo que foi finalmente conquistado no ano de 1998, quando o Governo Federal destinou às áreas, hoje denominada de Palmares, aos agricultores”, disse Miquinha.


O parlamentar ressaltou que nada mais justo que imortalizar Valdemar, colocando seu nome na praça da comunidade, conhecida até então como “Praça Palmares Sul”. “O Valdizão foi um dos principais responsáveis pela abertura das ruas da comunidade, feito na época a base da enxada, da foice e força bruta. E a primeira árvore do local, uma mangueira, foi plantada por ele”, pontuou Miquinha.

História de vida

Nascido em 15 de março de 1939, na cidade de Guadalupe Piauí, e casado com Dona Maria Ferreira dos Santos, com que teve 5 (cinco) filhos. Mudou-se para o estado do Pará no ano de 1971, morou em Marabá e Curionópolis antes de decidir mudar-se para Parauapebas no ano 1994, onde viveu até o ano de seu falecimento. VALDEMAR foi um desbravador e um grande líder comunitário, pioneiro da Vila Palmares I, hoje Palmares Sul, ajudou a desbravar as terras que hoje recebem o nome de Palmares. O agricultor viveu um período muito difícil de disputas por terras entre aqueles que queriam trabalhar e os que dominavam áreas de grandes concentrações de terras públicas sem destinação certa.


Sempre trabalhou, com garra, determinação, força e coragem, Valdizão nunca fugiu à luta. E a coragem que sempre esteve presente em sua vida se colocou a prova, quando em 2001 recebeu o diagnóstico de câncer de próstata, doença com a qual lutou até 2013 quando foi vencido em sua última batalha nesta terra. Fechando assim, o círculo de um homem guerreiro que nunca teve medo em sua vida, lutou sempre que achou a oportunidade e defendeu seus ideais

Texto: Rosiere Morais

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.